Cabelo volta a crescer em laboratório nos EUA


Cabelo volta a crescer em laboratório nos EUA Cabelo volta a crescer em laboratório nos EUA.

Depois de muitos insucessos, cientistas conseguiram fazer o cabelo voltar a crescer cultivando em laboratório células humanas da derme papilar, trazendo novas esperanças para o tratamento da calvície, segundo um estudo publicado ontem. Durante cerca de 40 anos, cientistas tentaram sem sucesso clonar folículos pilosos, a “fábrica” dos cabelos, usando células da derme papilar.

E os tratamentos conseguiam, até agora, retardar a perda de cabelos, mas não estimulavam o crescimento de novos fios. Nessa nova pesquisa, as células humanas, depois de cultivadas, foram reimplantadas na pele de camundongos, permitindo a produção de folículos pilosos.

Para a pesquisa, as células papilares provenientes de sete pessoas foram cultivadas em laboratório, onde tiveram sua agregação induzida de forma a criar as condições necessárias para o crescimento dos cabelos, explicou Claire Higgins, da Universidade de Columbia, outra autora do trabalho. Depois de alguns dias, as células papilares inseridas entre a derme e a epiderme de um fragmento de pele humana foram inseridas nas costas dos camundongos. Em cinco dos sete testes, o enxerto produziu cabelos novos durante pelo menos seis semanas. Exame de DNA mostrou que os novos folículos pilosos eram humanos e geneticamente similares aos dos doadores das células papilares. Segundo os autores do estudo, no entanto, é necessário fazer mais trabalhos antes que a técnica possa ser testada em humanos. Eles precisam determinar as origens das propriedades intrínsecas dos novos cabelos, como cor, ângulo de crescimento, localização na cabeça